Postagens recentes

News| Autora evita ler livros do mesmo gênero

20 junho 2013 Comentar
De Nova York para Coluna Ilustrada da Folha de São Paulo.

Antes de começar a escrever "Cidade dos Ossos", em 2004, Cassandra Clare chamou a atenção de editores experimentando "fanfiction" (gênero em que se imaginam tramas alternativas para personagens já famosos).

O caminho não é incomum entre autores best-sellers. Os primeiros passos de E.L. James, do blockbuster "Cinquenta Tons de Cinza", também foram as "fanfics".

"Gosto de ver que a fanfic' está em progresso. Eu não consigo ver o futuro, mas acho que existe uma nova discussão sobre originalidade começando em torno disso."

Ela também diz ter suas receitas para preservar o ineditismo num mercado adolescente tão saturado de jovens casais, vampiros e penumbras malditas.

"Comparações são inevitáveis. Algumas partes dos livros abordam questões semelhantes, como o jovem dividido sobre quem ele quer ser. Procuro não ler muitos dos livros nessa linha para que o meu trabalho seja único."

Assim como os vampiros que ela idealiza, Clare conta que vara madrugadas para cumprir uma rotina árdua, de produção elevada, que ela mesma se impõe.

"Procuro trabalhar muito. Estudei mitologia. Meu pai sempre foi fascinado por mitologia grega e me ensinou."

Filha de americanos, Clare nasceu em Teerã. A rotina de professor do pai a levou a morar em países como França e Suíça. "Vivíamos viajando, e eu sempre carregava um livro", lembra.

Os relatos sobre Cassandra, irmã de Jane Austen, que ela reverencia, inspiraram a criação do pseudônimo de Clare. "Mas foi só isso", diverte-se, ao esclarecer que sua pretensão não é a de imprimir em seus personagens qualquer traço da literatura de Austen.

(JC)

Escrivaninha Literária nas Redes Sociais: Facebook| Twitter| Instagram|Skoob|

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sua opinião é imprescindível para avaliar nosso trabalho.

Obrigado!