Postagens recentes

Livro Tudo Por um Popstar de Thalita Rebouças vira musical

27 dezembro 2012 1 Comentário
Primeiro livro para adolescentes da escritora, a aventura das amigas Gabi, Ritinha e Manu no Rio de Janeiro chega aos palcos em 5 de janeiro e marca a entrada da Aventura Entretenimento no mercado 'teen'.

João Marcello Erthal, para o portal Veja.

Thalita e o elenco de 'Tudo por um Popstar': a estreia da escritora nos musicais (Divulgação/Robert Schwenck)


Numa sala do Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian, um grito histérico coletivo, de tiete em porta de hotel, simula o terceiro sinal para o início do espetáculo. Acompanhados por um teclado, seis atrizes e quatro atores começam, então, a repassar todo o repertório, textos e marcações de Tudo por um Popstar. Os pais de meninas hoje na faixa dos 20 anos de idade possivelmente se lembram do título. E muitas delas – dos 10 aos quase 30 – são capazes de pronunciar ainda hoje o nome dos Slavabody Disco Disco Boys. Para os não iniciados, este é o nome da banda fictícia de garotos que deflagra a aventura de Gabi, Ritinha e Manu, as protagonistas da história que, nos palcos a partir de 5 de janeiro, será a estreia de Thalita nos musicais, e a da Aventura Entretenimento no universo adolescente.

O objetivo é fazer de Tudo por um Popstar o espetáculo obrigatório do verão para meninas. A história das três meninas de Resende, no interior fluminense, que se aventuram no Rio de Janeiro para conhecer os rapazes da banda de nome complicado, foi a primeira escrita por Thalita para o público adolescente, antes do sucesso avassalador da série ‘Fala Sério’.

“Queremos formar plateia para os espetáculos de qualidade. Adolescentes geralmente não vão ao teatro. Em parte porque, para eles, predominam peças ancoradas em rostos famosos, mas com texto e produção sem consistência. Fizemos o contrário. Montamos um elenco sem nomes consagrados, mas com figuras experientes em musicais e jovens supertalentosos”, conta Aniela, que planeja manter esse público na alça de mira das próximas produções. A Aventura também prepara, para 3 de janeiro, a estreia de Rock in Rio, o Musical.


A ideia de transformar em espetáculo um livro de Thalita Rebouças partiu da Aventura, que já fisgou com sucesso o público infantil, nas adaptações de O Mágico de Oz, do brasileiro Peixonauta e do inglês Charlie e Lola. Na hora de atrair o público ‘teen’, Thalita, a autora de 1,3 milhão de livros vendidos para meninas, era opção natural. A escritora sugeriu ‘Popstar’ certa de que o livro escrito dez anos atrás era “quase um musical”. “Popstar é uma história pronta para isso. Muita gente me dizia que meus livros tinham que ir para o teatro e televisão por serem coloquiais”, diz Thalita, enquanto aguarda para acompanhar um ensaio corrido do espetáculo completo. “Eu me emociono até nos ensaios. Essa é uma história que criei sozinha, no meu escritório, e que agora vou ver com um grupo de jovens cantando, diante de um público onde estarão muitas das minhas leitoras”, afirma.

A emoção nos ensaios não é conversa para mimar adolescentes. No momento em que os ídolos dos Slavabody Disco Disco Boys, com violões, se juntam às meninas em uma espécie de luau para uma versão em português de In My Life, dos Beatles, Thalita seca as lágrimas. E o elenco, sentado a meio metro da autora, sobre a fita adesiva que simula o fim do palco e o início da plateia, percebe que a dona da história aprova o trabalho.

Lennon e McCartney estão presentes também com I Wanna Hold Your Hand, no pot-pourri que abre o espetáculo, logo depois de O Rappa (Na Frente do Reto, ou “O show tá começando...”). Passa-se então por Roberto Carlos, Michael Jackson, Menudo, RPM, Raul Seixas e uma sequência que prepara a plateia para a história propriamente dita. Neste momento, pais e mães que tenham sido obrigados a comparecer estarão um tanto amolecidos. Afinal, fora a mudança de repertório, de ídolos e de épocas, as adolescências de ontem e hoje ainda têm muito em comum.

Gabi (Thati Lopes), Ritinha (Larissa Bougleux) e Manu (Jullie) querem conhecer os Slavabody Disco Disco Boys, e conseguem o aval dos pais para viajar ao Rio acompanhadas da prima Bebete – a mística Babete, tão inconsequente e adolescente quando as sobrinhas. Tudo dá errado, e o trio se perde sem conseguir assistir ao show dos ídolos. O encontro só acontece quando, por obra do destino – e de Bebete – os ‘disco boys’ são levados a Resende para conhecer as fãs.

Thalita supervisiona o roteiro e "dá pitaco" em tudo. Afirma que o texto de Gustavo Reiz - segundo ela, o autor que é para os meninos o que ela é para as meninas - manteve a essência de Popstar. A direção do espetáculo é de Pedro Vasconcelos.

O frisson adolescente das personagens que desmaiam pelos Slavabody Disco Disco Boys pode transbordar do palco para a plateia. O trio escolhido para interpretar a banda americana – Christian Villegas, Igor Pontes e Raphael Rossatto – tem os requisitos básicos e as qualificações para entrar para a lista de desejos reais do público alvo do musical. Cantam (bem), dançam (bem) e vão aparecer com o visual das 'boybands' que atingem em cheio o gosto das meninas de uma faixa bem mais ampla que as ‘teen’.

“Vejo totais condições de Tudo por Um Popstar evoluir para uma série de TV”, sugere Aniela, que também compara o trilho previsto pelo musical com a trajetória bem-sucedida de Confissões de Adolescente, o espelho das adolescentes na ficção nos anos 90 e que voltará à cena em 2013, em um longa com estreia prevista para dezembro. Considerando que Thalita Rebouças acaba de lançar uma coletânea de crônicas voltada para adultos, assina sua própria linha de roupas e acessórios, lançará em breve seu primeiro livro infantil (Por que só as princesas se dão bem?) e tem um filme a caminho (Uma Fada Veio me Visitar), a TV é só questão de tempo.



Um comentário:

Deixe seu comentário, sua opinião é imprescindível para avaliar nosso trabalho.

Obrigado!